Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utiliza

Castelo Branco
sábado
18-11-2017
Céu Limpo
Máx: 20º
|Mín: 6º

“Temos mesmo que deixar de ser consumidores para passar a ser utilizadores”

13 Nov, 2017

“Temos mesmo que deixar de ser consumidores para passar a ser utilizadores”. A ideia é o Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, que este domingo, 12 de novembro, esteve em Idanha-a-Nova, a fim de participar na sessão de encerramento da edição de 2017 do evento i-Danha Food Lab.

O governante falava no decorrer daquele que é o evento que marcou o fim do programa de aceleração i-Danha Food Lab 2017, o primeiro acelerador alimentar da Península Ibérica, que reuniu também, em Idanha-a-Nova, o Internacional Bootcamp do Climate-KIC.

O Ministro da Ambiente disse ainda, durante o seu discurso, que “enquanto ser mais eficiente continuar a implicar extrair, transformar, usar e descartar, nunca seremos verdadeiramente eficazes ou sobretudo, nunca seremos verdadeiramente inteligentes”.

João Matos Fernandes aproveitou o seu discurso para falar dos recursos do planeta e para ir ao fundo da questão, dirigindo-se também às startups presentes na iniciativa, afirmando mesmo que “a manterem-se as tendências”, em 2030 o mundo vai exigir mais água, mais alimentos, madeira e energia, “colocando uma pressão sobre os recursos que é: insustentável”.

No encerramento do i-Danha Food Lab, o Ministro do Ambiente sublinhou que “temos de aprender a prolongar a vida útil dos materiais” e em declarações à comunicação social considerou que “o papel de Idanha é de facto um papel que ultrapassa largamente as próprias responsabilidades que Idanha tem”.

João Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, disse ainda que “o território e a proximidade contam, quando se fala em círculos que permitam combater o desperdício alimentar e reparar pequenos eletrodomésticos”. Nesse sentido, no contexto do fundo ambiental, o Governo vai lançar um aviso público destinado a Juntas de Freguesias, a fim de concretizar projetos de economia circular.

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, falava à comunicação social depois de mais uma edição do evento anual do i-Danha Food Lab.

No decorrer da sessão de encerramento, o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, reforçou que “hoje o mundo rural pode oferecer muito ao mundo urbano”. O autarca que revela que “Idanha está a fazer adesão às bio regiões da europa”, com o compromisso de as comunidades, as gentes e as empresas serem mais bios, considera que o mundo rural deve estar ligado ao mundo urbano “para nos equilibrarmos e conseguirmos melhores equilíbrios naquilo que nos preocupa”, nomeadamente “as questões climáticas”.

Patrícia Pinto |